Avast revela que 20% dos dispositivos da Internet das Coisas são vulneráveis

Segundo pesquisa realizada pela empresa de segurança Avast, um em cada 5 dispositivos da Internet das Coisas (aparelhos capazes de se conectar à internet através de Wi-Fi ou Bluetooth) são vulneráveis a ataques de hackers no Brasil. Isso representa um alto risco de segurança e privacidade dos usuários de internet em nosso país. Webcams, babás eletrônicas, impressoras, roteadores e vários outros dispositivos capazes de se conectar à internet estão na lista.

Indicativos do relatório
O relatório da Avast revela que 20,1% dos dispositivos da IoT (Internet of Things) são vulneráveis a sofrer ataques cibernéticos no nosso país. A pesquisa revela que entre as webcams e babás eletrônicas, 22,3% não são seguras e podem facilmente serem utilizadas por hackers para espionar as pessoas que as têm em casa.

O relatório ainda afirma que 9,7% das impressoras podem ser hackeadas com facilidade. O equipamento considerado mais vulnerável pela Avast é o roteador. Segundo a pesquisa, 62,4% dos aparelhos podem sofrer ataques cibernéticos por pessoas mal-intencionadas na internet.

Segundo Ondrej Vlcek, CTO, Executive VP & General Manager Consumer da Avast, “os roteadores são a porta das redes e, portanto, criam um ponto de entrada fácil para hackers atacarem as redes domésticas brasileiras, se não estiverem corretamente protegidas, porque o software, por exemplo, está desatualizado ou porque uma senha fraca é usada”.

Riscos e como se proteger
Os donos dos dispositivos, quem podem ser usuários domésticos ou empresas, podem não estar atentos aos perigos existentes. Quando um aparelho é hackeado, pode ser comandado por criminosos para monitorar através de áudio e vídeo, funcionar de maneira incorreta ou roubar dados, o que é extremamente perigoso tanto para empresários como para pessoas que os utilizam em casa.

Para aumentar a segurança, empresários e usuários domésticos além de sempre manterem seus softwares atualizados, devem fortalecer as suas senhas com caracteres complexos. Recentemente o Google e o governo italiano anunciaram que iriam ensinar à população a criar senhas seguras, devido à alta ocorrência de problemas de segurança digital que o país vinha sofrendo.

E aí, amigo, você se mantém atento à segurança dos seus aparelhos que se conectam à internet? Comente conosco!

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *